A vida minimalista com menos bagagem

Alguns anos atrás, tive o prazer de Ler o livro Packing Light de Allison Fallon.

Allison percebeu que várias coisas estavam de costas em relação ao que ela acreditava ser importante na vida.

Ela decidiu abandonar seu emprego de tempo integral, vendeu quase tudo o que ela possuía e passou os próximos seis meses viajando por todo o país.

Lembro que nessa época eu tinha ido a Goiás para uma palestra em um evento de educação e vi o livro no aeroporto. (não compre livros no aeroporto, muito caro).

Eu tinha planejado começar a ler o livro quando chegasse em casa, mas simplesmente não pude esperar.

Comecei a lê-lo naquela hora mesmo, e admito muitas das mesmas perguntas que ela perguntou a si mesmas são as que me perguntei muitas vezes.

Eu estava ansioso para continuar a ler o livro quando eu tive algum tempo livre naquele fim de semana, mas estava hesitante em avançar, pois queria internalizar o que eu tinha lido até agora e sentar-me dentro disso.

Ao longo de sua jornada, ela aprendeu algumas lições sobre viajar – muitas das quais pertencem a toda a vida:

  1. Você não pode levar tudo com você.
  2. O que você escolhe para sua vida.
  3. Você terá que deixar algumas coisas para trás.

Eu acredito firmemente que muitas vezes sentimos falta de coisas importantes porque estamos muito ocupados, ou porque simplesmente temos muitas coisas no nosso prato.

Dê uma olhada nas três lições que Allison aprendeu em sua jornada, e considere se alguma delas ressoa com você.

Eu não estou falando sobre bagagem real aqui, como roupas e outros itens domésticos. Estou falando sobre a capacidade emocional, e se temos ou não a coragem de admitir que nossos tanques estão vazios.

Depois de passar pelos primeiros capítulos do livro de Allison, tive que parar em minhas pistas e pensar.

Por que me sinto tão ocupado na vida? Por que eu sinto que não consigo fazer tudo? Por que sinto que estou vivendo uma vida de quantidade e não uma vida de qualidade?

Estas são algumas perguntas muito boas a serem feitas – e são elas que precisam ser respondidas honestamente para começar a projetar a vida que realmente queremos ter.

Gostou deste conteúdo?

Conheça o projeto Minimus Experience!