Trabalhar para comprar coisas que você não precisa

Trabalhar para comprar coisas que você não precisa

Atualmente, estamos imersos em uma sociedade de consumo, em dívidas (a maioria de estudantes) e cheios de stress e frustração. Mas, por que isso está acontecendo? Tenho duas teorias. O estado, e a “fuga”. 

Com relação ao primeiro, e dentro dele, engloba tudo o que definimos por “ter que fingir”, isto é, querer artificialmente pertencer a um estrato econômico (até político) que, essencialmente, não somos, e provavelmente não seremos, o que atrapalhará viver um estilo de vida baseado no minimalismo.

Por exemplo, são muitas as pessoas que compram coisas que não são necessárias apenas para o simples fato de tê-las, porque “eles”, a elite, o possuem, (o Mac, iPod, iPad, iPhone… etc.)

Eu não estou dizendo que ninguém deva comprar, na verdade, são bons produtos, mas, precisa realmente comprar ou você só quer se mostrar para os outros?

E, infelizmente, isso implica em dívidas, dívidas de cartão de crédito que ultrapassam os ganhos salariais, e, portanto, ter que trabalhar mais e mais horas, menos tempo para si mesmo, para a saúde, para a família, para os seus passatempos, para o cão, finalmente, por tudo o que realmente importa.

Agora, por que não paramos para pensar um pouco sobre o que realmente precisamos, e não comprar apenas para a aparência?

Na teoria da fuga, estão todos os que compram coisas materiais como uma maneira de se desligar de seus problemas ao invés de confrontá-los, comprando a tecnologia mais recente nos sentiremos “melhores”, mas perceba que o bem-estar é apenas temporário, ou seja, é uma mentira!

Se você tiver problemas em seu trabalho, em sua casa, em sua comunidade creio que seria melhor enfrentá-los, em vez de comprar e comprar (e claramente adicionar mais problemas para sua vida). 

Identifique seus conflitos, proponha soluções, mas não gaste metade do seu salário ou o seu tempo em um shopping comprando coisas inúteis que a única coisa que vai gerar será mais stress e dívidas.

Eu gosto de fazer uma analogia a esta felicidade temporária, de drogas “Pasta Base”, que o leva a um estado de êxtase muito momentâneo (questão de minutos), e no final, o que ele faz, é um vício e novamente a triste realidade (nunca passei por isso se é isso que você está pensando, é apenas uma análise…).

Espero que tenham gostado do artigo, não se esqueça de enviar suas sugestões…

Obtenha o E-book: Potencial de uma vida Minimalista

Com sugestões práticas e encorajamento para personalizar seu próprio estilo minimalista, minimizar as posses é a melhor maneira de maximizar a vida.

Obrigado por se inscrever. Te enviamos um e-mail para baixar o e-book.

Algo deu errado.

Aproveite mais conteúdo

Bruno de Souza

Meu objetivo é te ajudar a viver mais com menos. Malabarista por diversão e violinista aprendiz.

Obtenha o E-book: Potencial de uma vida Minimalista

Com sugestões práticas e encorajamento para personalizar seu próprio estilo minimalista, minimizar as posses é a melhor maneira de maximizar a vida.

Obrigado por se inscrever. Te enviamos um e-mail para baixar o e-book.

Algo deu errado.