Minimalismo em casal: dois de tudo

Minimalismo em casal: dois de tudo

Duas tesouras de cozinha, dois pratos, duas jarras de água, duas colheres de sopa, dois misturadores elétricos… dois de tudo. O movimento acabou!

Minimalismo em casal: dois de tudo

Todas as caixas foram espalhadas pela sala, foi ótimo, e eu poderia começar a desempacotar e colocar as coisas que eu tinha escolhido timidamente na minha cruzada minimalista.

Abri a primeira gaveta e… uhm, temos duas tesouras de cozinha. Ok. Uhm… nós temos duas panelas grandes, duas panelas pequenas, várias facas, duas lâmpadas, duas jarras de água, três gavetas, dois conjuntos de chaves Allen…

O que fazemos com os meus pratos? Opa, eu não tinha pensado nisso. Definitivamente: o minimalismo individual não é o mesmo que o minimalismo compartilhado.

Minha máquina de café ou a sua?

Ambos concordamos que não poderíamos ter tantos objetos duplicados agora que íamos compartilhar a casa. Mas quem iria desistir de sua “coisa”? E o que fazemos com o descartado: doar, vender?

Em alguns minutos, me confrontei com uma série de novos sentimentos. O ser humano no fundo precisa de sua própria individualidade e de seu próprio espaço.

A fusão de duas pessoas em um único ambiente, mesmo nos casos mais felizes, implica uma série de decisões importantes.

E a verdade é que a idéia de me desfazer da minha máquina de café não me deixou muito feliz. A síndrome do filho único? Creio que sim.

Eu, eu e eu

No final, tudo está focado em nossos medos. E se um dia eu me frustrar com esse relacionamento, pego as malas e não tenho minhas tesouras?

E se um dia temos que nos separar por um bom tempo e não tenho pratos? Eu me recuso a rejeitar as poucas coisas que eu tenho preservado! São medos.

Eu começo uma mudança, para viver com minha parceira. É uma decisão com a qual estou muito feliz, mas é normal manter a individualidade e temer o futuro.

Eu duvido que eu vou morar em outra cidade em 2 anos e estou muito preocupado com os 2 pratos que tenho. Uma vez observado, analisado e assumido de onde o medo veio, as decisões devem ser feitas.

Minimalismo Inteligente

Penso que mais cedo ou mais tarde vou perceber que a decisão correta é eliminar as repetições. Mas enquanto isso, eu estava pensando seriamente sobre a diferença entre minimalismo e minimalismo excessivo.

Felizmente, minha parceira e eu gostamos de ter apenas o suficiente, então analisamos: vale a pena ter 7 ou 8 coisas repetidas?

Então escolhemos aplicar uma técnica clássica: escolhemos o utensílio com melhor desempenho, novo ou útil e colocamos tudo descartado em uma caixa e guardamos no sótão onde não podemos vê-los.

O tempo nos dirá o que é certo e possívelmente iremos doar a maioria dos utensílios naquela caixa. Estou calmo e seguro com meu relacionamento, e eu espero viver muitos anos com a máquina de café que escolhemos.

E você? Existe algo que você nunca desistiria, mesmo que houvesse 2 em casa?

Obtenha o E-book: Potencial de uma vida Minimalista

Com sugestões práticas e encorajamento para personalizar seu próprio estilo minimalista, minimizar as posses é a melhor maneira de maximizar a vida.

Obrigado por se inscrever. Te enviamos um e-mail para baixar o e-book.

Algo deu errado.

Aproveite mais conteúdo

Bruno de Souza

Meu objetivo é te ajudar a viver mais com menos. Malabarista por diversão e violinista aprendiz.

Obtenha o E-book: Potencial de uma vida Minimalista

Com sugestões práticas e encorajamento para personalizar seu próprio estilo minimalista, minimizar as posses é a melhor maneira de maximizar a vida.

Obrigado por se inscrever. Te enviamos um e-mail para baixar o e-book.

Algo deu errado.