Minimalismo mental: pensamentos que não servem

Minimalismo mental: pensamentos que não servem

Na maioria das vezes quando as pessoas pensam em “minimalismo” elas pensam em menos coisas. Ou casas pequenas. Ou 35 itens perfeitamente arrumados que cabem em uma única mochila.

Mas e se aplicássemos o minimalismo ao nosso espaço mental?

E se nós decidíssemos destralhar pensamentos que não eram mais (ou nunca) nos serviram?

Na realidade, o movimento minimalista é tanto sobre uma transformação mental e psicológica como sobre uma tangível.

E se você quiser abraçar o minimalismo mental, há um par de princípios que precisa ter em mente.

Não podemos fazer tudo. Não podemos dizer sim a tudo. Nós especialmente não podemos ter limites zero se quisermos ter o espaço mental necessário para criar coisas.

O que é Minimalismo Mental?

Não, o minimalismo mental não é uma categoria do minimalismo, ele simplesmente é minimalismo, mas aplicado a mente.

O minimalismo mental requer foco no presente. Porque o foco só funciona se você está se concentrando em uma coisa.

Se você está curioso para tentar o minimalismo mental e dar-se algumas férias aqui há uma breve visão geral sobre como eu faço isso:

Deixando cair a bola

O Buda contou 84000 diferentes emoções negativas presentes na mente. Considerando que a maioria delas são lixo:

  • Raiva
  • Ciúmes
  • Ignorância

Com estes meros três, você já tem uma grande carga de lixo, muito menos aos outros 83997.

Mas nós não estamos cientes disso, e passamos a maior parte do nosso tempo carregando toda essa porcaria ao nosso redor sem saber.

O trabalho de destralhe nunca está completo, mas eu posso dizer que é a direção certa, porque podemos nos sentir mais sãos. E estáveis.

Se eu tivesse que resumir como deixar cair à bola de emoções, eu a encerraria em três etapas:

  1. Estar ciente deles.
  2. Reconhecer quão dolorosos e inúteis eles são.
  3. Decidir parar de seguir sua lógica delirante.

A aplicação destes três requer uma persistência considerável. Mas todos podem fazê-lo. Se eu fiz isso, você também pode.

Realmente não há necessidade de ser leal as suas emoções, elas têm alimentado você com mentiras.

Jogue o lixo que está te fazendo mal fora, não todos de uma vez, mas um por um. As chances são que você vai se sentir mais leve. E mais feliz.

Eu gosto de pensar em meu próprio minimalismo mental como um MPV, que neste caso, refere-se a: mínimo progresso viável.

Obtenha o E-book: Potencial de uma vida Minimalista

Com sugestões práticas e encorajamento para personalizar seu próprio estilo minimalista, minimizar as posses é a melhor maneira de maximizar a vida.

Obrigado por se inscrever. Te enviamos um e-mail para baixar o e-book.

Algo deu errado.

Aproveite mais conteúdo

Bruno de Souza

Meu objetivo é te ajudar a viver mais com menos. Malabarista por diversão e violinista aprendiz.