prazer

Em: Hábitos

A diferença entre prazer e felicidade

Acredito firmemente que o prazer faz parte de todos os nossos dias. Fomos “projetados” para buscar o prazer e evitar a dor: está escrito em nosso DNA.

Mas o prazer vicia. Estamos obcecados com a busca do prazer.

Precisamos comprar mais, beber mais, comer mais, sempre empurrar a barra da transgressão. O que nos deu o prazer ontem, nos deixa entediados hoje. O que nos animou ontem, hoje nos deixa indiferentes.

O prazer é uma chama que nos devora. Cada vez que a chama se extingue, o frio nos invade e estamos dispostos a queimar nada para tentar de novo aquela sensação de calor.

O prazer é fácil e sob nosso controle. O prazer pode ser comprado e não deve ser conquistado. O prazer é imediato e não deve ser construído.

Mas a sensação de prazer é sempre um fim, e é como um amante rancoroso (a) que nos deixa nus e atordoados. Um remorso que promete mudar de vida e hábitos… pelo menos até o próximo momento de prazer.

A busca da felicidade

Todos os dias somos bombardeados pela falsa promessa de que nosso próximo prazer nos fará felizes; e talvez está em…

“Gastar dinheiro que não ganhamos, para comprar coisas que não queremos, para impressionar pessoas que não gostamos.” – Will Rogers

Mas o paradoxo é que a busca da verdadeira felicidade tem pouco ou nada a ver com a busca do prazer. Você não lê um blog para conhecê-lo. Basta pensar na última vez que esteve verdadeiramente feliz.

Se o prazer nos obriga a adicionarmos continuamente coisas que não precisamos, a felicidade, pelo contrário, alimenta-se de simplicidade: somos felizes quando podemos nos concentrar nas coisas realmente importantes, quando compartilhamos momentos simples com pessoas especiais, quando podemos saborear a vida sem nos preocuparmos com o passado ou o futuro.

Felicidade é a água que refresca. Quando nós mergulhamos na felicidade percebemos a realidade de forma diferente e nos livramos da ansiedade de perseguir o prazer.

A felicidade nunca é fácil e muitas vezes para alcançá-la temos de pagar o preço da autodisciplina e da força de vontade. A felicidade não pode ser comprada, mas tem de ser ganha. A felicidade nunca é imediata, mas podemos apreciar os frutos já no caminho.

Se é verdade que a busca do prazer quase nunca leva à felicidade, há uma chance de transformar o prazer em uma ferramenta prática para a busca da felicidade.

Use o prazer para encontrar a felicidade

Continuando a reflexão sobre a diferença entre o prazer e a felicidade, cheguei a uma conclusão interessante: o prazer é a forma, e felicidade é o objetivo.

Aqui está o “truque”: tornar as ações agradáveis para atingir a felicidade no longo prazo.

A motivação, a autodisciplina e a força de vontade são excelentes ferramentas para atingir seus objetivos e a felicidade, mas não temos reservas infinitas; é muito mais eficaz usar o prazer.

O prazer pode ser a ferramenta certa que pode ser aproveitada para alcançar seus objetivos.

E você? Neste momento em sua vida que você está procurando prazer ou felicidade?

Aprenda a gerir sua finanças com Minimalismo Financeiro

Ebook: Potencial de uma vida minimalista

Com sugestões práticas e encorajamento para personalizar seu próprio estilo minimalista, minimizar as posses é a melhor maneira de maximizar a vida.

Ebook

Te enviaremos um e-mail de confirmação.