Uma vida artificialmente forçada

Uma vida artificialmente forçada

O ego é tão terrível.

O ego nada mais é do que a narrativa que construímos sobre nós mesmos e que é preenchida com o que aprendemos com nossos pais, família, amigos, escola, professores, religião, política (ideologia), etc.

Então, estamos identificados com isso, que assumimos que este é o nosso senso de identidade e até mesmo sistematizamos isso em algo que chamamos de “personalidade”.

O ego nos leva a viver uma vida necessariamente artificial, uma vida que se manifesta de muitas maneiras e em várias fontes de infelicidade.

O mesmo ego que quer moldar a realidade, o ego que se sente como mestre, deus e único dono da criação.

Isso é tão inconsciente e diário que não percebemos isso.

O ponto é que neste mundo de dualidade em que vivemos, temos que provar a miséria para entender o verdadeiro valor da “riqueza”, e não estou me referindo a dinheiro. 😉

Gostou deste conteúdo?

Conheça o projeto Minimus Experience!